Preso em teu olhar

As nuvens dos céus desceram e estão em volta de mim

As nuvens dos céus cairão e agora são como o tapete em baixo dos meus pés

As nuvens dos céus trouxeram o que precisava e me fizeram vê por onde eu estava, onde me encontrava

 

Por tanto tempo andei, por tantas horas e não tinha nada a minha vista

Por tanto tempo caminhei e em teus olhos me perdia de vista

Andava desgarrado, andava solto sem direção, ia onde me leva a voz cega de meu coração

 

Meus olhos não enxergavam a distância, nem tão pouco as pedras no meu caminho

Meus olhos tortos e sem rumo me levavam a esse mar, um oceano de espinhos

Meus olhos precisavam só de um olhar, precisava em teus olhos se encontrar

 

Meu dia era escuro, minha noite também, precisava de teu olho do que me faz mais um refém

Meu ano era demorado e corrosivo, explodia minha vida como um forte explosivo

Nunca soube o que era estação, só sabia o que era a dor em meu coração

 

Via o sangue de minhas veias vermelho correndo pintando todo o chão

Via todo esse sangue lavando minhas mãos

Via pra sempre, via a minha frente, via minha mente confusa tocada impunemente, algo que me deixava assim

Via o que me cegava, via teus olhos longe, distantes de mim

 

Precisa em teus olhos me encontrar, precisava estar preso, preso em teu olhar

Precisava descobrir o amor em te achar, eu sabia que estava preso, vivia preso em teu olhar

Precisava de um gole de água, água pura e cristalina, precisava de água, água pra lavar minha retina

Precisava de um momento bom pra poder sonhar, precisa de mais tempo, tempo pra em teu olhar me aprisionar

 

Sou um bandido, mas sou apaixonado

Sou um perdido, confesso todo errado

Sou louco e sem noção, sim eu sou, não queime sua mão

Sou eu isso tudo, mas me orgulho e não posso me arrepender, em teu olhar quero minha vida fazer valer

Sou desesperado, alucinado e encantador, sou esse que tu vê agora, perdido por amor

Eu sou um preso e refém, eu sou o que todo mundo agora reclama, pois só tu tem

Eu sou zangado, mimado, sou eu teu amigo, namorado, quero em minha vida este lar, permanecer preso, preso em teu olhar

 

Teus olhos são castanhos e os meus de que cor são?

Teu olhar e profundo e dominador, em teu olhar eu me perco, esqueço minha dor

Sinto que tuas mãos estão me tocando fazendo meu coração acelerar, mas me sinto preso, preso em teu olhar

Em teu olhar eu estou preso e se fechar apenas um olho ainda estarei lá, por toda minha permanecerei preso, preso em teu olhar

by: Sr. Patrono

Lindsay Lohan

Lindsay Lohan

– Este poema é uma homenagem a Lindsay Lohan (Long Island, 2 de julho de 1986) atriz, cantora, estilista, e compositora norte-americana. Ficou mundialmente conhecida após interpretar irmãs gêmeas no longa-metragem The Parent Trap, em 1998. Seus filmes de maior sucesso são Freaky Friday, de 2003, Confessions of a Teenage Drama Queen, de 2004, Mean Girls, de 2004 e Herbie: Fully Loaded, um remake do filme The Love Bug (br: Se Meu Fusca Falasse), em 2005, e Just My Luck, de 2006. Atualmente, Lindsay Lohan tem trabalhado no meio empresarial, lançando produtos como uma linha de leggings chamada 6126 e também sua linha de bronzeadores, chamados Sevyn-Nine. Lindsay ainda pretende lançar uma linha de joias e tem um terceiro álbum a ser lançado, chamado Spirit in the Dark.

Fonte: Wikipédia

Anúncios

Manaus

O que posso dizer?

Não tenho nem palavras para escrever!

Sei que sou bom com as palavras, mas agora me sinto preso, travado, vejo apenas paredes por todos os lados!

O que posso falar de minha cidade de meu cantinho o que posso dizer desse meu mundo, nele vivo mesmo que apertadinho

Aqui nasci e me criei, aqui nestas ruas tive momentos de rei

O que posso fazer pra te honrar Manaus?

O que posso é ao mundo gritar, Manaus como te amo e pra sempre vou te amar!

Manaus, terra de sonhos um lugar de muitos amores de muitos sabores

Manaus, cidade imortal que completa mais um ano

Manaus, pequena Manaus, mas que dá passos de gigantes

Manaus, minha cidade, minha terra, minha paisagem em meu mundo nossa realidade

Um lugar de dança e muita cor

Um lugar alvo compungido de dor

Um lugar de idéias e de realizações

Um lugar vivo, vestido de compaixão

Um lugar movido pelo ritmo do coração da união e da raça

Uma cidade apaixonante, meu conjugue minha amante

Esta é minha Manaus determinada a ganhar, nesta cidade em muitos eu vou me encontrar!

Manaus vem Manaus hoje é teu dia pode celebrar!

Valeu Manaus neste mundo tu tens o teu lugar

Manaus um município brasileiro a capital do Amazonas

Manaus você fez, você conseguiu e posso dizer que sem você isso não é Brasil

Manaus situada na confluência dos rios Negro e Solimões

Essa é Manaus movida por um oceano de amor e paixoes

“Fundada em 1669 com o forte de São José do Rio Negro. Foi elevada a vila em 1832 com o nome de Manaus, que significa “Mãe dos deuses”, em homenagem à nação indígena dos manaos, sendo legalmente transformada em cidade no dia 24 de outubro de 1848 com o nome de Cidade da Barra do Rio Negro. Somente em 4 de setembro de 1856 voltou a ter seu nome atual”. Citação: Wikipédia A enciclopédia livre

Manaus “Coração da Amazonia” a “Cidade das Floresta”

Mãe dos deuses, Manaus tu é o meu tudo o que nos resta

Manaus eu te peço nao esqueca de mim

Que tu pule, que tu brinque, que tu chore e tenha todas as conquistas, mas que tu não me percas de vista

Que va e alcance teu lugar, que te ponhas entre os grande, mas que se lembre de mim

Em ti pra sempre eu quero me encontrar

Sou de manaus e tenho orgulho em dizer

Manaus obrigado me deste berço ao nascer

Sou da terra e senti o seu chão, Manaus é minha terra de coração

Esse é só mais de muitos outros e quero poder estar contigo

Sou de Manaus e amo esse presente, viva Manaus, que tu viva eternamente!

by: Sr. Patrono

– Este poema foi criado para homenager Manaus capital do Amazonas!

Teatro Amazonas, teatro de Manaus

Teatro Amazonas

Desabafo

Desabafo: Meio que dei uma derrapada na minha vida esse mês, cai e me arranhei todo e até doeu muito, tenho feridas abertas por toda parte, dor no corpo todo, minha cabeça dói e gira em torno de mim, não consigo raciocinar e perdi a direção. Mas digo a quem quer que seja eu levanto!

Um desabafo a todos vocês meus amigos queridos.

by: Sr. Patrono

Vitrine de etiquetas

O vento ta soprando, soprando com força e muita agressividade

O vento sopra cortando as cortinas, varrendo as ruas destas cidades

O vento segue seu caminho e não para, ele corre nos acariciando com o toque da verdade

Sopra vento, vento de muitas idades que segue nas ruas da insanidade

 

Meus olhos estão tão cheios de areia que nem posso vê

Me sinto cego preste a me perder

Minha boca não posso abrir se não nela sujo poderá cair, permaneço selado assim fica mais fácil de sobreviver “areia eu não vou comer!”

 

Ando contra esse vento, sinto o que pode me causar, sinto que no fundo não quer me dominar

Mas porque deixo e me rendo, no fundo eu estou mesmo é morrendo

A cada dia me sinto mais pesado, meus pés mal saem do chão, caminho dia a dia, caminho ao empurrão

Me dói às juntas ao me mexer, me dói tudo quando penso em viver

 

Meus ouvidos estão entupidos, fechados pro que deve ser ouvido, estes meus ouvidos me mostram que meu mundo esta perdido

O mundo gira, gira sem parar e como em um jogo de damas tenta me barganhar

Não posso ouvir e enxergar esta difícil, o que me resta e cair, mergulhar fundo nesse precipício

Mas queria poder mais, na verdade viver a paz, não a paz de guerras, mas paz “quem me dera!”

 

Giro, giro e onde me vejo, ando, ando e onde término, sempre em frente a esta vitrine de etiquetas

Fico mais pesado por tanto conquistar a futilidade caminha segura sem me largar

Fico mais cego de tanto sono, não durmo mais, nem sei mais nem o que é pestanejar

Sei que estou cego, não consigo nem mais amar

Surdo e sem tom, vivo surdo não ouça nem aminha própria voz, mesmo com ecos, o que há entre nós?

 

Do pé a cabeça o que parece quando ando, sou essa vitrine de etiquetas, sou mais um fulano

Me sinto reluzente, mas no fundo não to tão contente

Me sinto por cima em alta, mas o que faço pra ser feliz muito ainda me falta

Me sinto o que há de melhor, quando me deito sinto preso ao desespero de viver ao pé da letra

 

Vitrine de etiquetas, nem meus governantes não querem mais, querem essa vida, isso lhes fazem reais

Vitrine de etiquetas luz e muito brilho, mas quando nos deparamos, são eles quem mais choram, quem mais lamentam

Quero ser vivo e não inerte, quero viver, viver até meu ultimo suspiro, como uma ultima canção, uma ultima musica tocada em meu coração

Quero essa luz pra mim, quero ultrapassar as correntezas deste mar, quero sim com dores do lado certo me putrefazer, quero desta vida com um pouco de vida poder morrer

by: Sr. Patrono

Doce sonho

Um dia eu olhei pro céu e pensei em voar, achei lindo via as aves na magia do ar a brincar

Os pássaros voavam e planavam suavemente, eles voavam e pareciam tão contentes

Um dia via o azul do oceano e imaginei quem neste mar se faz rei

De todas as riquezas vi meu coração, vi ele solto procurando o caminho em minhas mãos

 

Um dia em um campo verde vi flores se abrindo, vi em muitas cores meu jardim colorindo

Podia sentir o perfume, podia sorrir e me alegrar, via as flores com lindas cores estancar e saras minhas dores e meu coração podar

Em um susto eu vi cavalgar, solto um cavalo selva seu caminho a trilhar

Via a liberdade, em um momento de frenesi a verdade, queria mais força para vencer, muito mais força, vi em seu olhar a alegria de viver

 

Vi tudo em meu pedaço, vi que há mais vida onde há vida nesse espaço

Meu pedaço de terra, meu pedaço de mundo, meu embaraço

Vi que minha vida é um doce sonho, nele sou bem mais risonho

 

Sou meu pássaro no céu a voar, vivo neste doce sonho a planar

Sou as flores em meu jardim, sou estas flores que me dão tom e cores nesse mundo sem fim

Sou este cavalo selvagem em meu doce sonhe eu sou a cara eu sou a coragem e a seguir eu me proponho

 

Brinquei em quanto pude, brinquei de tudo, brinquei de bolinha de gude

Em minha infância em meu tempo de criança, brinquei em quanto todos me chamavam de esperança

Brincava até me cansar, eu brincava o dia todo, corria até o dia acabar

 

Meu mundo é uma fantasia, ainda me lembro quando ainda criança em meu mundo eu sorria

Não imaginava o que seria crescer, não podia perceber como seria, em que esse mundo se tornaria

Não tinha idéia, mas até desejava, por meu novo mundo eu ansiava

Doce sonho acabou! Hoje sou adulto minha vida se formou

Doce sonho mudou! Hoje em novos trilhos vou seguindo e não me vejo mais a voar, me vejo em passos curtos caminhar

Doce sonho, antes era tão bom tão gostoso de viver e achava que seria fácil crescer

Hoje sei que há bem mais, em minha vida meu doce sonho são fatos reais, mas são meus doces sonhos

Que queimam e fervilham meu dia, minha realidade, meu doce sonho, minha alegria

Sei que meus sonhos eram doces, tinham sabor de amor e esperança, pois sonhava e via o mundo pelos olhos de uma criança

by: Sr. Patrono

– Um poema para prestigiar o dia das crianças, para celebrar e lembrar o tempo em que éramos crianças, a cara da esperança, to tempo em que víamos tudo pelos olhos da inocência. Feliz dia das crianças!

Ilusão

Desde que ti vi pela primeira vez pude perceber, em teu olhar serrado, em teu sorriso torto, um novo jeito, um novo ritmo de viver

Desde que ti vi pela primeira vez entendi, vi que havia bem mais, para minha vida trazia fatos reais

 

Sempre sorri e chorei e às vezes até doía, quando não por muitos eu fingia

Navegava solto neste mar abandonado, navegava sem rumo sem direção, meu coração planava neste mar, neste oceano de ilusão

Teve dias em que quis lutar, na força de meu braço o mundo conquistar, mas me feri, me perdi

Não podia volta, tinha vergonha, minhas feridas não podiam mais sarar

E meu coração solto neste mar continuava, acometido a esta paixão, navegava solto meu coração

 

Desde que ti vi tudo se fez diferente, tudo mudou de cor

Desde que ti vi senti que tinha um motivo

Mas entendi, que para minha vida há bem mais em te conhecer

 

Te conhecer foi como um sonho

Te conhecer foi tão bom pra mim

Te conhecer foi como tocar os céus com a ponta de meus dedos, viver neste paraíso, neste lindo jardim

Te conhecer foi a minha maior conquista, agora chega, correndo saio dessa pista

O prazo expirou e meu coração foi lançado a leilão, resgatado deste mar, deste oceano de ilusão

 

Mas em muito não mudei, de chorar eu não parei

Via a vida segui e tinha minhas duvidas se gostaria de acompanha-la

Não sabia o que fazer, onde meu coração estava, mas sentia ele doer, independente de tudo isso continuava

Mas sei que há bem mais do que posso imaginar, preciso deste amor para fazer meu coração acelerar

Acelerar e deste mar sair, cair em minhas mãos e livre desta dor em toques forte repetir a vida

Navegando ainda esta esse meu coração, solto pra qualquer lugar, este meu coração neste mar de ilusão não para de flutuar

by: Sr. Patrono

Setembro

Em setembro eu me apresentei e a muitos eu clamei “Um sonho”

Fui escolhido e classificado, entre muitos fui ao menos notado

Tive um motivo pra sorrir e me alegrar em setembro tinha motivos, motivos ótimos pra continuar

 

Foi com o chegar da estação, com a mudança do tempo que dançou meu coração

Pude olhar em teus olhos e dizer: oi, pra mim é um prazer

Foi em setembro e nem precisou chegar novembro, em setembro eu pude te conhecer, mudando a cor do meu dia alegrando meu viver

 

Tive motivos pra sorrir motivos pra chorar, tive motivos óbvios, oportunidade de opinar

Oportunidades de escolher e em algum momento pude sair da bolha

Setembro eu nunca esquecerei, pra minha vida se fez singular nos traços de suas mãos me fez caminhar

Ô setembro tu me amas? Ô setembro o que fizeste de mim, por tanto tempo cego, perdido em meu quartinho no campo de meu jardim

 

Este foi especial, único, pra minha vida sem igual, hoje é setembro pra minha vida imortal

Tive dificuldades, tive momentos de liberdade, tive a dor que me cegava, tive a força pra continuar, tive vida, asas pra voar

Tive luz pra mim por todos os lados, tive seu olhar me entrelaçando, meu coração tomado em suas mãos, por teu amor aprisionado

Tive a semelhança, tive em mim a ultima gota de esperança

Tive sinusite me fazendo chorar, sinusite esta que não me permite enxergar

Tive tudo, mas era engano, eu só me afogava nesse mar, nesse oceano

 

Eu nunca tive nada, em minha carne só à marca da batalha

E por isso nunca esquecerei, esse novo setembro agora em minha vida é um rei

Em breve será outubro, novembro e o ano correrá, mas logo outra vez o setembro chegará

Tatuado em meu corpo como uma medalha de vitória, que venha outro setembro, mesmo que vazio, setembro sempre carregara a ponta de minha história

by: Sr. Patrono