Penitencia

Você acredita no amor?

Você acredita na felicidade, na vida, na surda insanidade?

É tão difícil acreditar, mas e real…

Sabe te conheci em um mar de facilidades, mas o mesmo mar te carregou, te levou para longe, para o esgoto da soberba, da vaidade e isso tem me machucado intensamente!

Te gostei como nunca havia gostado de nenhum outro, te amei como nunca havia amado na minha vida, te quis tanto pra mim, que fiquei sem espaço, mas vê já só o que você fez comigo!

Um dia te olhei e disse te amo, você sorriu e baixou sua cabeça

Um dia eu te disse você e meu sol, você e minha lua, mas ficou em silêncio

Te dei amor, te dei atenção, mas o que você fez? Me deu em xícara um punhado de dor, fez com ela parar meu coração

Estou sofrendo muito eu confesso, ta doendo muito e não consigo suportar

Queria era ir agora em uma cova me enterrar

Acabar comigo e me fazer sumir, mas não adiantaria você nem se importaria

Me castigo, me flagelo, me torturo, pois como fui louco, tão sincero

Meu maior erro eu sei bem qual foi, acreditar em você! Esse grande erro só fez eu me perder

Dizer que estou com ódio, com raiva e que meus sentimentos mudaram seria uma tremenda mentira, mas quer saber uma grande verdade: eu estou tão triste, muito triste, não estava esperando por esta! Queria não sentir nada, mas não posso, não consigo! Queria mesmo era ser frio e não ter sentimento algum, queria te vê e poder dizer que você só é mais um!

Esta dor me consome e me reduz a pó, mas do pó Deus fez o homem e agora veja só!

Posso dizer a mim mesmo, pois a mim só interessa, caminho com esta dor, caminho com você, pois não tenho pressa em me sarar, mas sei que um dia eu irei te abandonar

Meus sentimentos são finos e um só, uma vez desperdiçado, não voltam mais, fico com sua paz

Essa ate pode se minha penitencia, mas o que posso fazer sou um frágil humano

Viverei como poder, viverei ate onde for minha força, minha fé

Viverei e para pagar minha penitencia, aguentarei firme, viverei todas as consequências

Mas te digo com franqueza o que tens hoje, a manhã só será sombra do que se foi

E no profundo dos teus olhos eu vou vê escrito “arrependimento”

Em teus olhos verei a dor e o desespero, mas será tarde, meu coração será um afiado punhal, o mais puro gelo

Escrito por: Maikon R. Costa de Assis (Sr. Patrono)

Anúncios