Sou Como Sou

– Sou Como Sou se tornou o primeiro poema campeão do nosso Poeta dos Sonhos, apresentado no 28º Concurso de Poesias Faladas de Itacoatiara o CONPOFAI, modalidade do FECANI, este poema teve destaque, sendo o 18º poema a ser apresentado na tarde do dia 06 de setembro de 2013, Sou Como Sou conquistou a terceira colocação, arrebatando um dos prêmios como início de um grande marco. Interpretado por uma grande amiga Rosianny Moraes, Sou Como Sou arrebatou gritos e emocionou a todos, trouxe polemicas com suas frases e ideologias. Mas agora chegou a vez de você que é fã das minhas obras curti um pouco do que sou!

Manaus, 31 de maio de 2013

O que sou, quem pode me dizer?

Sou reflexo do que amo, sou o que você vê

Sou como sou, sem esforços pra ser “EU”!

Sou tua vontade, sou teu santo de verdade, o que tu prometeu

Eu sou tanto, mas no fim eu não sou nada!

Eu sou um sonho, mas na real sou teu pior pesadelo, sou teu pedaço, meu coração é teu por inteiro

Sou fraco, imaturo, sou teu bobo menino que corre sem direção, sou teu pai de bengala, sou quem segura tua mão

Sou a ventania, sou a correnteza, sou a flor mais bela, sou eu tua fera, esta criança fria na janela

Sou assim e não tem outro jeito, sou esse carinha estranho que sorrir para você, sou eu em minhas vontades, sou sem jeito, desajeitado com vontade de crescer

Sou assim torto e imperfeito, sou esta perdição, o amor que arde em teu peito, quem esmaga teu coração

Sou eu por te amar, sou eu por sofrer por este amor, sou em tua vida a gota de cura, sou eu o teu senhor

Eu não tenho sexo, eu não tenho cor, eu não tenho idade, nem fronteiras para me limitar, eu não tenho nem água para minha sede saciar

Eu não tenho teto, nem cama alguma para descansar, eu não tenho nada, eu não tenho nem força para caminhar

Eu sou assim, sou como sou e como posso mudar?

Eu não tenho em teu mundo é nada, tenho só a vida para gastar

Eu sou assim tão pequeno em tua mão, eu sou como um caroço de feijão

Sou como sou, sou tua vontade, sou como sou, sou tua liberdade

Sou como sou assim sem pudor, sou como sou teu corpo nu no meu a se esfregar, eu sou como sou, tua vontade louca de me amar!

Sou como sou e não tenho explicação, estou na mente, no espírito, estou no ar, estou no coração

Eu sou o dom da liberdade e te convido a experimentar, sei que ser livre é difícil, tem todo um mundinho a ti julgar

Sou como sou e não sou diferente de você, sou como sou e escolhe meu caminho a percorrer

Sou assim dono das minhas vontades, sou como sou, quem me cuida e quem me ama, sou eu comigo mesmo o melhor dos sexos, eu sou bom de cama o que sobrar é só o resto

Sou a minha imortalidade, eu sou como sou, sou em mim a pura verdade!

Escrito por: Maikon R. Costa de Assis (Sr. Patrono)

Sorriso

– Este poema foi classificado para concorrer no 28º Concurso de Poesia Falada de Itacoatiara o CONPOFAI, foi o 11º poema a ser apresentado na tarde do dia 06 de setembro de 2013. Sorriso acabou não ganhando prêmio ou se classificando entre os três mais, mas arrebatou aplausos e gritos de pessoas que ainda nem tinham ouvido falar do Sr. Patrono, reverberado pela minha queridíssima amiga Rosianny Moraes sua interpretação foi intrigante e arrebatadora, mas agora chegou a vez dos fãs do nosso blog aproveitarem estes versos.

Manaus, 21 de junho de 2013

Ouço um ruído, ruído que brinda chamando minha atenção, eu ouço um ruído, o ruído singelo do sorriso que me apanha na palma das mãos

Sorriso que me encanta e me faz apaixonar, sorriso torto que me põe por toda a minha vida a sonhar

Eu ouço um ruído, o ruído do teu sorriso, que lindo ruído, o canto dos anjos no paraíso

Ruído lindo teu sorriso, sorriso que me encanta e que me faz assim, tão bobo fora de mim

Desejei um dia me apaixonar, eu quis tanto uma amor de verdade, uma louca paixão, fora da realidade, com quem pudesse caminhar

Senti um dia este vento soprar, senti sua brisa com as mechas de meu cabelo brincar e percebi que ti amava

Fechei meus olhos e vi um mundo diferente, eu vi tudo, menos a distância entre a gente, vi o teu sorriso em um mundo tão contente

Força de vontade, dessa desigualdade, da realidade de quem vive um eterno amor

Força das mãos que pune com dor quem amo sem pudor

Força de quem ama, de quem se revela na cama, que mostra sua cara e deixa bater, vou precisar de forças para viver

Revelado está o meu amor, revelado exposto como for

Amor encontrado em um sorriso expressado no momento em que teus olhos me encontrou

Sorriso lindo que me fascina, sorriso doce e que me faz amar, vivo feliz sorrindo por te achar

Escrito por: Maikon R. Costa de Assis (Sr. Patrono)