Aprendiz

Manaus, 25 de abril de 2013

Renovado, dia a dia me vejo em tua vitrine, feito um vaso quebrado, mas que resplandece luz

Vaso cheio de fendas, rachaduras que não consigo disfarças, nem com toda a maquiagem em meu rosto estas rugas não consigo estancar

Sou como um papel amaçado com marcas que nunca iram desaparecer, com traços que contam sua história, com manchas que marcam a memória

Aprendiz de uma nova vida, aprendiz de uma eternidade, aprendiz louco a procura da verdade

Vivo aprendendo a viver, aprendendo que não se pode ter tudo, mas que no fim o nada nunca se teve

Aprendi que quando se tem amor, se tem dor e sofrimento, aprendi que em teus braços vivi minha maior prisão

Aprendi que quando se senti apaixonado se está totalmente enganado, o que se tem na verdade e a ganância de conquistar, de mostrar ao mundo que em um punhal teu coração irei cravar

Aprendiz de um guerreiro, de uma fera mortal, aprendiz de um poeta que canta em seus versos o sobrenatural

O pássaro voa guiado pelo insistindo, o cavalo corre o campo guiado pelo seu instinto, mas que instinto é este que põe a humanidade a se perder?

Aprendiz é que eu sou, aprendiz e o que vou ser, que por mil eternidades eu possa entender, entender que no fim todos iremos ser iguais

Qual a diferença entre o açúcar e o sal? Descubra agora e escolha seu final!

Sei que tenho meus tortos pensamentos, sei que arranhando estão meus sentimentos

Sei que sou humano e meu instinto me leva a perdição, mas enquanto eu poder farei de carne meu coração

Vivo este sonho de melhorar, vivo a vontade de chegar, chegar ao fim de uma história como um vaso que se parte ao cair da estante, vaso que se rompe em suas formas e que nunca mais serão as mesmas

Sou eterno, sou imortal, sou aprendiz da vida, quem constrói esta parede, quem senta cada tijolo, quem da forma ao ouro

Sou e sempre serei assim, pequeno exagerado, correndo contra a mão nesta estrada, quero esbarrar com este acaso que poucos encontram e que se chama “MUDANÇA”

Aprendiz eu sou e sempre poderei aprender mais, aprendo hoje que sou eu o dono do meu viver, quem faço a minha paz

Sei que tem mais em mim e que não quero por a perder, sou aprendiz e nunca saberei o suficiente, sempre serei dona desta terra, a falange da minha mente

Escrito por: Maikon R. de Assis (Sr. Patrono)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s