Migalhas

Manaus, 22 de abril 2013

O que tu pensas o que passas por tua cabeça?

O que senti teu coração? O que canta teus sonhos, em ritmo de convulsão?

O que achas que tu es?

Te senti diferente, melhor que a gente, melhor que eu?

O dono do mundo, deste século um novo “Moisés”?

 

Mano não te prendas, não te segure e nem finja ser bom pra mim, não te faças de rogado, tu já não é mais a ultima flor deste jardim!

Tu foste meu grande amor eu não nego, mas essa “tão doce” história hoje eu desprezo, pois uma coisa é certa, eu estava era cego!

 

Fui bobo, ridículo, infantil, sem noção, leso estava por ti meu coração!

Estive confuso, sem direção, desnorteado, conduzido por tão forte emoção!

Não me via, não me sentia, nada de mim era mais priori, você se tornou o meu tudo, mas este tudo agora vejo, não era nada!

 

Minha história contigo ficou para trás, como lembranças de um passado ridículo ao qual me envergonho e pra mim não quero mais!

Nossas fotos eu rasguei, como cacos de vidros tua presença em mim eu tornei!

Como pedras de gelo eu deixo este amor, em um deserto sozinho, para que se consuma e suma como favor!

Tenho vergonha de tudo o que fiz, por você nada valeu tão a pena, nunca fui tão panema!

Sempre tive do bom e do melhor e me vieste com migalhas. Sai fora, te toda, não sou nenhuma gralha, some da minha frente com tuas migalhas!

 

Não sou pombo, nem rato, não sou bicho de bico, não!

Sou um pequeno apaixonado que te quis por todos os lados, mas você não quis e vieste com migalhas de você, meu amor pôs pra correr!

Não quero mais você, não quero o seu amor, não quero ter você por perto!

Quero tudo em abundância, quero fartura e você nunca pode me oferecer o melhor, então sai fora!

Tuas migalhas eu desprezo e rejeito, não quero me enganar mais, se for você, que eu viva sem paz!

 

Sou pequeno e sonho em viver um amor gigante

Sou sonhador, desejo um amor profundo, viver sem dor

Me abro e me permito amar outra vez, mas quero você longe, já deu o que tinha de dá, agora pra você eu digo: sai fora, sai pra lá!

Não quero migalhas, migalhas de você, eu quero o que me encha, quero na fartura pra viver!

Não quero migalhas, migalhas de você, quero ter um amor só meu, como um sonho imortal que não me deixa acordar, que eu viva este sonho pra sempre a sonhar!

Escrito por: Maikon R. de Assis (Sr. Patrono)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s