O novo branco

Um novo dia, novo amor, novo sentimento, novo momento de dor

Vejo vir a mim, vejo irradiando dando luz ao meu jardim

Sem tom, sem cor, em acordes mudo perdido esta este amor

 

Suas idéias são loucas, alucinadas que não me levam a nada

Os pequenos agora estão grandes e indecisos, buscam perdidamente em vão

Cegos nas esquinas da Augusta, em tom de felicidades eles estão

 

Vem caindo o anoitecer, trazendo a dor da lágrima que corre

Lágrima que desce ladeira abaixo, se perdendo em milhares nesse espaço

Na corrida decisiva, buscando o novo branco sem encantos e limitações

 

O novo branco. O novo branco. O novo branco

 

Todos têm idéias, todos têm ilusões, estão dando força aos corações

Sem fôlego não conseguem respirar, quero o novo branco, novo amar

Pergunto-me, emergir pra que? Pra neste mundo se afogar, fazer doer!

 

Vai começar tudo de novo, outra vez a partir do nada

Começar agora, que se inicie mais esse novo conto de fada

Em branco esta minha página blindada ao que há de vir

 

Posso colorir ou posso escrever, com manchas posso marcar essa página

Teu espaço irei guardar nesse branco para ti sempre haverá lugar

Quem sabe deixe como esta ou divida tudo, preto e branco

 

O novo branco. O novo branco. O novo branco

 

Mas não posso e não poderei ao amor eu me renderei

Não posso não consigo, sei que haverá cor, disso eu preciso

Amar e ser amado, te vê pintado nas bordas destas páginas

 

Vivo o dom de ser eu, vivo pela força da paixão, preso em teu olhar, pois sou prisioneiro,
culpado por amar

Sou único e imortal, sou solteiro, mentiroso, um vendaval

Sou silencioso, um montão de história, sou tudo o que vier o que resta na memória

Sou o que tu vê neste momento, sou tua fome um monte de bobeira, sou teu castelo de areia

Sou a cor que desbota nesta página ao ser tocada por esta gota de água e sal, sou teu futuro,
sou servo e imortal

Sou o meu amor, sou eu a minha dor, por tantos os momentos o que restou

Sou o que for, o ontem, o agora e o amanhã, sou a alegria a lagarta da maçã

Estou onde estou em meu novo branco meu mundo se encontrou

Meu franco e desajeitado, meu mundo branco agora esta borrado

Isso é o que vivo isso é o que desejo, deitado abraçado com meu travesseiro

Meu novo “EU” agora franco aqui estou eu, em todo meu branco meu mundo se tornou

by: Sr. Patrono

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s