Um sonho

Há muito tempo eu sonhei, fechei meus olhos e sonhei

Sonhei em viver uma vida que vi em uma revista, algo que enchia a minha vista

Sonhei em construir palácios, em ganhar o mundo, estar entre todos, mas foram só sonhos

Por muito tempo eu sonhei, sonhei em tocar as estrelas, em fazer parte deste mar, sonhei profundamente em o mundo conquistar

Tive vários sonhos e a cada novo sonho uma nova força pra continuar, a cada momento de minha vida eu permanecia a sonhar

Mas eu percebi que de sonhos não podia mais viver, que precisava de mais pra minha vida fazer valer. E eu te encontrei

Foi em um desses devaneios, em um desses momentos alheios que pude vê. E você estava tão próximo

Os sonhos nos erguem e nos põe de pé, a cada novo sonho me encontro a cara da fé

Mas o que precisava era de mais amor, nada de coroa, esteja eu com estes sentimentos seja onde for, que coisa boa.

Percebi que precisava amar o que estava ao alcance minha mão, tratar bem e renovar a esperança em meu coração

Percebi que precisava me apaixonar, me tornar louco e desesperado, buscar ansiosamente por mais força em teu amparo. E você sempre esteve comigo

Precisava estar cheio, completo por todo sentimento, estar sensível, me fazer um novo elemento

Deus me fez vê que não precisava sonhar pra conquistar a minha vida. Ela já havia sido me dada de presente

Entendi que possuía o que precisava que em meus sonhos eu me encontrava, mas tudo é bem real, pra minha vida o ideal

Me descobri em um papel, com a força da caneta me transformei neste senhor

Tradutor do amor, da expressão dos sentimentos, tive forças pra continuar sem precisar em transe eu entrar. Em ti eu me sustento

Entendi que podia escrever e que isso seria significativo

Percebi que eu saberia o que escrever, no momento certo, mesmo que viesse a doer

Me encontrei entre as palavras, elas me levam a onde eu sempre quis estar, em meus sonhos me faziam caminhar

Tive um sonho e hoje é minha realidade, mesmo que em sonhos se forme a humanidade

Tive um sonho e hoje ele esta aqui bem próximo, com todos os caminhos, com todas as voltas, ainda assim saberei qual é dessas portas

Neste mundo eu me torno, neste mundo eu sobrevivo, neste turbilhão de mundo eu resisto e vou continuar, por toda minha vida permaneço a sonhar

Mas não deixarei, em um instante virei rei e não permitirei que me engane

Por toda minha vida eu sonhei, mas hoje estou aqui no meu real, mas um novo sonho em minha vida, um sonho imortal

– Um Sonho nasceu no coração do Sr. Patrono, nasceu da vontade de voar sem ter asas, de saltar sem ter pernas, de gritar sem ter voz, nasceu da ânsia de viver a vida por completo, peça após pedaço.

– Após a concepção deste poema vi que ele era bom, que passava garra, a perseverança, a força, a vontade de luta, vi que ele nos levava a um nível perfeito pra continuar. E entendi que esse seria perfeito pra inscrever no 26º Concurso de Poesia Falada de Itacoatiara, um dos concursos promovidos pelo Festival de Canção de Itacoatiara (FECANI), que visa promover é estimular a cultura é a arte nacional e regional. O Sr. Patrono se inscreveu para concorrer com dois poemas de sua autoria “Amazonense e Um Sonho”, onde teve uma de suas obras classificas, “Um Sonho” foi contemplado a concorrer no 26º CONPOFAI.

Maikon R. Costa de Assis

Sr. Patrono

Amazonense

Posso ouvir um ruído, um ruído de águas, águas que retumbam

Posso sentir chegando, ele vem cantando aos meus ouvidos como as águas que banham o estado

Posso ouvir este canto que encanta meu coração, este é o canto do Amazonas, pra muitas vidas seu pulmão

Ele vem com o alvorecer fazendo nascer, crescer em mim a esperança

Ele vem chegando e com o tempo brinca, Amazonas ainda tão criança

 

Nascido no coração de Deus o Pai Criador, tomado em decisão quando em suas mãos a luta Ele aceitou e disse “pra sempre”.

Em virtude a igualdade, a união das dores, da cor, do sexo e da raça

Nascido onde o sol se põe e brilha ilustrando o grande Rio Negro

Em suas curvas a decisão da vida com dificuldade na escassez

Fazendo refém povos e a todos que de mais precisam, que por ti buscam mais esta vez

Amazonas terra livre de insônia, vida tranquila com seus segredos na boca de seu pai Rio

 

Pai Amazonas e eu filho teu, vivo o que tu de coração aberto me deu

Em meio à batalha de sangue, gotas que se deságuam em suas mãos brancas e negras mostrando a dor da perda

Em busca das pedras de ouro, edificadas e em moradias transformadas

Na caçada pelo mais, na ansiedade de força pra ter paz

Na descida, na subida, com a garra e punho de ferro se achou e em nova vida transformou

 

Nasceu o Amazonas, o berço, leito que amamenta uma grande nação, há maior conquista estar na solidariedade de seu coração

Antes a cara das mulheres guerreiras envolvidas em seus costumes e tradição, compungidas em conquistar na força de sua mão

Deus planejou, traçou em linhas tortas e suaves, pro Amazonas mais do que vida, nada de passagem. E hoje veja onde estamos!

Recebendo de muitos, abrigando a todos, lhes dando do seu melhor, fazendo todo o esforço, não quer ver nenhum de seus filhos na pior

Pode ser paraense, maranhense, carioca ou paulista, de onde quer que seja, será pra sempre Amazonense, mesmo que se perca de vista

 

Por trás de tanta natureza se esconde muito mais do que se imagina, movidos pelo ritmo do coração uma grande civilização

Seja no ritmo do bumba, o que nos leva a dançar

Seja na oração que se forma nos céus ao unir das mãos de uma criança

Aqui não vemos a diferença, não há separação, nem fronteiras, de mãos dadas vencemos e nos constituímos mais, transformando nossos sonhos em casos reais

 

Amazonas é o nome, cujo dado por um sentimento de igualdade onde houve a guerra, a luta a perseverança, em muitos rostos a viva esperança

É o que sou, filho da nascente, nascido do rio que banha o estado, da água que cobre por todos os lados

É o que serei eternamente, filho do Amazonas, isso me faz mais gente, do Brasil a todo o lugar onde a minha voz poder alcançar

Prometo não parar, em nenhum momento me cansar, viverei a vida como ela merece ser vivida

 

A cada instante mais um amazonense cria forças para o ventre romper e sair. Ser amazonense é tão lindo.

Mesmo que de Parintins ou de Coari, que venha de Tefé ou Iranduba, Manacapuru ou de Itacoatiara, de qualquer município, comigo carregarei a história do Amazonas, história rara

Isso é o que sou, pra sempre, eternamente, por toda minha vida, redondamente, com muito orgulho, não indiferente, mas um Amazonense

 

– Amazonense foi concebido na ânsia de mostrar a tão rica história da descoberta do estado do Amazonas, desde a partida até o primeiro contato corpo-a-corpo.

– Trabalhei na criação deste poema para que pode-se com ele participar do 26º Concurso de Poesia Falada de Itacoatiara, um dos concursos promovidos pelo Festival de Canção de Itacoatiara (FECANI), que visa promover é estimular a cultura é a arte nacional e regional. O Sr. Patrono se inscreveu para concorrer com dois poemas de sua autoria “Amazonense e Um Sonho”, onde teve uma de suas obras classificas, “Um Sonho” foi contemplado a concorrer no 26º CONPOFAI.

Maikon R. Costa de Assis

Sr. Patrono