Eu sou

Sou a luz, a escuridão, sou as trevas, o amor no coração
Sou bom, eu sou maldade, sou isso, sou a verdade
Sou o que mente, o que esconde de você
Sou a loucura, a vontade de te vê
Sou inteligente, infame, sou duro, sou o que ame
Eu sou isso e muito mais, sou bem pequeno, tua paz
Eu sou o desespero, a serenidade, sou a facada, sem lealdade
Sou leve, eu sou um sonho, sou sagaz, sou um bisonho
Sou a alegria, a fantasia, sou estress o dia-a-dia, eu sou teu, meu de todos nós
Sou o passo dado, a liberdade, sou teu amor, eu sou tua dor
Eu sou poeta, um sonhador, sou o que escrevo, sou meu senhor
Gosto de fazer palavras rimarem, as verdades se encontrarem
Não sei o que faço e nem o que digo
Sei o que, sou meu maior abrigo
Sou o tecelão, a ilusão, eu sou isso e muito mais
Sou o que tem, o que a traça rói
Eu sou a pergunta, sou a resposta, sou a força em tuas mãos
Eu sou o que for possível ser, eu sou isso tudo e só depende de você

by: Sr. Patrono

Em um instante

Foi difícil enxergar, perceber o que estava à frente
Foi difícil perceber o que causava tanta dor
Foi tão difícil, mas enxerguei, eu percebi

Foi difícil dar mais um passo, meus pés pareciam preso ao chão
Respirar era difícil como se houvesse um nó em minha garganta
Mas agora posso caminhar, respirar naturalmente

Agora posso vê, olhar pro céu vê o quanto ele é azul
Agora posso correr e gritar, tenho forças, posso caminhar
Agora eu posso e livre estou, livre sou!

Meu coração estava amarrado, preso a você
Andava angustiado, sentenciado a morrer
Morrer por este amor, dopado por amar
Mas agora estou livre, estou forte outra vez, sem você posso caminhar

Não precisei de muito e voltei a sentir o calor do sol
Não me custou muito, e agora durmo tranqüilo, eu e meu lençol
Doeu muito te perder, mais ainda afastar-me de você
Doeu tanto, mas agüento mais esta dor
O que quero mesmo é ser meu senhor

Em um instante percebi o que estava errado
Sofrer era igual a estar do seu lado
Em um instante percebi o que eu era de verdade
Sujo, verdadeiro, louco em insanidade
De um instante apenas eu precisei, em um surto voltei a real
Eu era surdo, mudo e cego, hoje eu ando só, eu me carrego

Foi como um toque celestial, vida humana ou animal, não sei…
Só sei que o que doía não dói mais, o que não via agora vejo, se não andava hoje corro
Agora sou feliz, sou a dona de meu nariz
Em um instante aconteceu, meu coração zombou e sua língua ele mostrou, banana te mandou e livre agora sou

by: Sr. Patrono

A caçada (Sorte do surubim e azar do boto)

– Bem, como já havia dito, postarei tudo o que me ocorrer e que tiver maior relevância, e no dia 11 e 14 de maio aconteceu algo inusitado.

– Mas porque só agora estou postando ou falando sobre o assunto, deixa que eu explique. É que no computador do trabalho não consigo postar vídeos, então tive que esperar chegar em casa para poder mostrá-lo a vocês.

– Nestes dois dias recebemos na base uma visitinha inesperada. Alias, nem posso dizer que é inesperada, a final os botos e os surubins estão sempre conosco ali naquele rio.

– Mas o que é um boto é um surubim?

O boto é um mamífero da ordem Cetacea, nativo da Amazônia e das costas do Atlântico, Pacífico, Índico, Mar Adriático, Mar Arábico, Mar Cáspio, Mar Vermelho e Golfo Pérsico parecido com um golfinho. Os botos são dos poucos únicos mamíferos dessa ordem vivendo exclusivamente em ambientes de água doce, sendo considerados por alguns zoólogos como as espécies atuais mais primitivas de golfinhos.

Boto

O Surubim também conhecido simplesmente por Cachara, o Pseudoplatystoma fasciatum é um peixe de couro, da família Pimelodidae, possui corpo alongado e roliço. Cabeça grande e achatada em forma de cunha. A coloração é cinza escuro no dorso, clareando em direção ao ventre, sendo branca abaixo da linha lateral. Pode ser separada das outras espécies do gênero pelo padrão de manchas: faixas verticais pretas irregulares, começando na região dorsal e se estendendo até abaixo da linha lateral. Às vezes, apresenta algumas manchas arredondadas ou alongadas no final das faixas. Assim como os demais pimelodídeos, apresenta três pares de barbilhão. Pode alcançar mais de 1m de comprimento total e pesar cerca de 18 quilos.

Surubim

– O que ocorreu de inusitado foi à tentativa desesperada de um boto rosa pra capturar um surubim, dizem que foi comprovada a inteligência dos golfinhos e que os botos são seus primos, bem podem até ser que eles sejam parentes, mas não sei se são tão parecidos assim, principalmente no quesito inteligência (ri).

– O boto veio em toda velocidade, mas não conseguiu pegar o pobre peixe, eles se bateram e até chegaram a quebrar uma escada de madeira que fica a meia água, mas nada. O boto tentou de todas as formas, mas o surubim se escondeu atrás da escada de madeira e permaneceu imóvel, sem se mexer um milímetro que fosse o boto o procurou muito, mas nada.

– O que mais me chamou a atenção, foi à reincidência do evento, por duas vezes na mesma semana a mesma cena se repetiu um verdadeiro Déjà vu, e o melhor foi o esconderijo que por duas vezes salvou o surubim na mesma semana.

– Agora a minha curiosidade é: será se era o mesmo peixe? Foi instinto ao usar duas vezes o mesmo local pra se esconder, como explicar isso?

Assista ao vídeo e mate a sua curiosidade, acesse: http://www.youtube.com/watch?v=47LFhimwnT8

by: Sr. Patrono

Olá,

Ser um blogueiro não é tão fácil assim como parece, eu mesmo estou tentando e olha tenho me esforçado, mas até que acho que to me saindo bem! Mas confesso não é fácil mesmo. É dureza…
Ter um blog é bem fácil o difícil é torná-lo agradável, interessante, descolado o suficiente pra que todos queiram acessá-lo sempre! É tão difícil torná-lo atraente, cool.
O meu blog é um blog diferente, não fala de notícias e nem de fofoca, até tenho tentado preenche-lo com algumas informações atuais, mas ainda não tem sido o suficiente. Mas tenho certeza que no que tange o meu ideal tenho ido além do esperado.
Isso não é uma reclamação, mas sim uma conversa afinal, entendo que seja pra isso que o blog existe, pra conversarmos.
O meu blog tem como foco a arte da escrita, nele posto poemas escrito por mim, que assino com o pseudônimo de Sr. Patrono, os poemas são de minha autoria, não sou o maior escritor do mundo, mas to me esforçando pra ser reconhecido como um, então escrevo mesmo que muitos não gostem, exprimo meus sentimentos e os transformo em rimas num papel, mas não quero apenas ficar nos meus sentimentos e ideais, quero poder alcançar os seus, e achei interessante ter uma pagina onde vocês podem colocar suas histórias, sejam elas engraçadas, tristes, marcantes pra que eu tente transformá-las em poemas.
Por isso digo a vocês fiquem comigo neste mundo tão seguro e confortável, seja mais um a viver com clareza, deixe pra mim sua história e deixe que eu tente transformá-la em um poema pra você.
Fique e não se esqueça viver é muito mais do que meramente existe.
Eu sou Maikon R. C. de Assis e assino como Sr. Patrono

Apresentação

Você já conhece o Sr. Patrono? Não!

Bem, o Sr. Patrono é um blogueiro apaixonado, amante da vida, amante do amor.

Atualmente ele tem atendido pelo endereço: http://srpatrono.blogspot.com/ onde, nele tem postado poemas de sua própria autoria, versos e artigos diversos. O Sr. Patrono reconhece o viver como a arte de amar e é nas palavras que ele tem tentado mostrar para o mundo sua visão de viver.

Nas palavras, em meio às rimas, neste mar de fantasia ele tem mostrado que há mais no mundo do que dor, magoa e rancor. Ele tem tentado mostrar que há mais no homem, e que onde há espaço pra tantas coisas ruins sempre haverá espaço pra algo bom.

by: Sr. Patrono

Lágrimas de um coração

Ah como eu queria poder te abraça e enxugar suas lágrimas
Na verdade não queria nem por um momento ser o motivo do nascimento delas
Mas apesar de tudo que compartilhamos na nossa vida, essa é a hora de dizer adeus
Pois não podemos nos enganar e viver um sonho que já acabou…
Um sonho que será sonhado por outros e que já nem faz sentido ficar planejando o que não irá acontecer…
Ah como eu queria tirar do peito toda essa dor que faz a minha alma doer…
Se pudesse gritar e arrancar do peito toda essa angustia.
Mas você está bem longe agora, a barreira que existe entre nós é muito grande quase intransponível, barreira essa criada por nós dois, que nem meus gritos podem ultrapassar.
Porém o amor que existe entre nós será sempre presente e verdadeiro.
Um sentimento que nasceu de uma brincadeira cresceu acreditando nas declarações e promessas de amor eterno e sufocou-se com o desinteresse e falta de compromisso. Hoje chora lágrimas de frustrações e de angustia.
Ah mais se pudesse voltar ao tempo e viver novamente aquele amor… amor sem medida que não tem medo da vida.
Amor cheio de esperança, movido a beijos e abraços, vivendo cada momento, e que acreditava que jamais iria acabar…
Quem me dera voltar ao tempo que éramos admirados por corações solitários que desejavam ardentemente viver um amor parecido ao nosso… um amor sem medida, que enlouquece a vida…
Ah se pudesse controlar o tempo e pular aqueles momentos que foram tão tristes e infelizes, deixando marca tão profunda de uma separação inesperada. Deixando o coração em pedaços, sem forças para se levantar e reviver.
Ah como eu queria poder te abraça e enxugar suas lágrimas

by: Maslova Oliveira

Até o fim do mundo

Como pensei que seria fácil, pensei tanto, mas não é bem assim

Pensei que o nosso amor seria eterno, sem fim

Mas o que posso fazer acabou, meu amor por você pifou

Pensei tanto em como te dizer, escolhi a melhor maneira pra encarar você

Pensei tanto em como fazer, olhar em teus olhos e poder falar, deixar claro não quero mais contigo estar

Pensei tanto como conseguiria olhar em teus olhos castanhos e dizer: goodbye, acabou não quero mais, pra mim chegou!

Agora posso dizer, livre sou e posso dizer: goodbye, bye, bye

Agora me deixa ir, sai, sai

Tentei o quanto pude, tentei até sangrar, meu corpo até doía, nem podia caminhar

Tentei tanto, mas nada pude fazer, tentei tanto que chegava a doer

Tentei no passado, mas agora não tento mais, de tanto tentar não tinha mais paz

Tentei, tentei e de nada adiantou, agora goodbye, seu tem aqui passou

Eu juro acreditava, acreditava em nosso amor

Até o fim do mundo eu quero ir, livre de você

Até o fim do mundo eu vou permanecer

Até o fim do mundo, vou caminhando, mas agora posso correr sem tanta bagagem me livrei de você

Agora sou feliz meu bem e tenho tanto, coisas que você não têm

Seus olhos não me encantam mais, sua boca arde na minha, suas mãos roem a minha

Até o fim do mundo eu vou, agora ando, ando sem dor

Até o fim do mundo vou vivendo, agora canto, canto e não estar mais doendo

Agora não morro mais, posso viver, viver em paz

Até o fim do mundo posso viver, agora que estou livre, posso a todos dizer

Meu namoro acabou e agora eu estou só, quero mais é amar

Mas até o fim do mundo sem a ninguém me apegar

by: Sr. Patrono